Publicado por: 1chardonnay1 | dezembro 28, 2008

Mudança

Este foi um ano bom demais da conta, aprendi muito, vibrei muito, amei muito. Foram muitas as conquistas e o wordpress hospedou o meu diário virtual durante esse período importante de minha vida. Gostei muito de brincar por aqui, tem ferramentas bem legais e layout super agradável. Agradeço às inúmeras visitas e aproveito para convidar a todos que passarem por aqui para conhecerem o meu novo blog.

Em breve, novo endereço.

Anúncios
Publicado por: 1chardonnay1 | dezembro 14, 2008

Mania de Puzzle

Nestes dias muitas coisas aconteceram. Me falaram pra tirar um aprendizado de tudo, além de ver o que eu perdi. Minha vida mudou mais uma vez sem que eu quisesse, por mais que eu tivesse feito minha escolha.

O que eu resolvi fazer? Comprei dois puzzles. Melhor do que tentar me encaixar na minha vida é encaixar as pecinhas de uma figura bacana de um lugar onde eu gostaria de estar.

O WordPress não tá me permitindo colocar as fotos dos meus puzzles aqui.

 

 

 

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 29, 2008

Como ficará este blog?

Pessoas tristes podem escrever as mais belas músicas de amores que não deram certo e coisas do gênero.

Eu não tô legal e também não consigo produzir nem um post legal. Talvez esse blog fique sem atualizações por um tempo, talvez não. Não sei. Tô sem saber ao certo o que vai acontecer comigo, com meu blog, com  a minha vida.

Até qualquer hora…

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 25, 2008

Deu medo

Diante da minha fragilidade, deu medo e angústia de não saber ao certo aonde essa história vai dar.

Uma música pra hoje:

 

Paciência

Lenine

Composição: Lenine e Dudu Falcão

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára…

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência…

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara…

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára
A vida não pára não…

A vida não pára!…
A vida é tão rara!…

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 23, 2008

Serra do Luar

Leila Pinheiro

Composição: Walter Franco

Amor, vim te buscar
Em pensamento
Cheguei agora no vento
Amor, não chora de sofrimento
Cheguei agora no vento
Eu só voltei prá te contar
Viajei…Fui prá Serra do Luar
Eu mergulhei…Ah!!!Eu quis voar
Agora vem, vem prá terra descansar

Viver é afinar o instrumento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro

Amor, vim te buscar
Em pensamento
Cheguei agora no vento
Amor, não chora de sofrimento
Cheguei agora no vento
Eu só voltei prá te contar
Viajei…Fui prá Serra do Luar
Eu mergulhei…Ah!!!Eu quis voar
Agora vem, vem prá terra descançar

Viver é afinar o instrumento (de dentro)
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro

Tudo é uma questão de manter
A mente quieta
A espinha ereta
E o coração tranquilo
Tudo é uma questão de manter
A mente quieta
A espinha ereta
E o coração tranquilo
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 16, 2008

Coisas que acontecem

Lembram da minha busca por petit-fours? Não encontrei mesmo, mas mamãe é marah… e fez uns pra nós. A minha noite foi agradavelmente brindada com um bom espumante nacional feito a partir de Chardonnay.

rondinee

A escolha foi por uma garrafa de Rondinée Brut. Apesar das qualidades, apresenta um amargor final e perlage pouco persistente, fatores estes que não impediram a noite de ser especial.

A minha unha (uma delas) quebrou e o meu dedinho do pé esquerdo se tivesse vida própria seria artilheiro da seleção, visto que chuta com uma força tremenda tudo o que vê pela frente.

O que mais?  Este calor está me cansando absurdamente, sugando minhas forças. Daria quase tudo por uma água-de-coco no meu cantinho preferido em Arraial D’Ajuda.

Do passado ficam as lembranças, do presente a oportunidade de fazê-lo da melhor maneira possível e do futuro a expectativa e o planejamento para que seja ainda melhor do que o presente.

A vida é assim, repleta de motivos para um brinde.

Uma constatação e um pensamento: Fui no cemitério no dia de finados, depois de muitos anos sem fazer isso. Me surpreendi com uma nova tendência: a de colocarem bichinhos de jardim coloridos sobre o gramado dos túmulos que são todos iguais. Fica muito alto-astral, legal mesmo. Quero que coloquem muitos desses bichinhos de jardim para mim, pode ser até do 1,99 que não tem problema. O problema é achar alguém que coloque…  

 

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 16, 2008

Cheirinho de Natal

natalPor onde anda o Papai Noel? Quando eu era criança ele se ocupava de fabricar os brinquedos da criançada durante o ano todo e só então no dia de Natal é que ele dava as caras por aqui, mas e agora que tudo é feito na China??? Acho que o bom velhinho compra Palavras Cruzadas aos montes, e talvez também faça Biscuit, pintura de óleo sobre tela… todas as coisas que possam ajudar o tempo a passar mais rápido do que pensar na vida, ou assistir a Globo nas intermináveis tardes de verão.

Mais um Natal, um típico dia pra se passar em família… e lá lá lá…

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 16, 2008

Sobre culinária

A palavra “Bistrô” ao contrário do que se pensa não tem origem francesa e sim russa, quando Pedro o Grande expulsou Napoleão de Paris suas tropas ocuparam a cidade, e soldados russos quando iam aos restaurantes gritavam “bistrô, bistrô” que quer disser “rápido, rápido”

Um Bistrô é definido no dicionário como um restaurante ou bar pequeno e simples, porém muito aconchegante. Nesse tipo de estabelecimento, a convivência e as relações pessoais tem tanta importância quanto a qualidade do serviço. Um Bistrô não costuma ter cardápio, sendo o próprio chef que conversa com o cliente, sabendo das suas preferências e preparando a refeição ao seu exato gosto, o que a torna único e extremamente pessoal. Hoje bistrô é basicamente sinônimo de pequenos, tradicionais e charmosos restaurantes de inspiração francesa. No bistro encontramos relíquias e antiguidades, alem de ser charmoso os chás nos fins de tardes.

fonte: wikipédia

rosto1

 

 

 

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 16, 2008

Coisas que Eu Sei

Danni Carlos

Composição: Dudu Falcão

Eu quero ficar perto
De tudo que acho certo
Até o dia em que eu
Mudar de opinião
A minha experiência
Meu pacto com a ciência
Meu conhecimento
É minha distração…

Coisas que eu sei
Eu adivinho
Sem ninguém ter me contado
Coisas que eu sei
O meu rádio relógio
Mostra o tempo errado
Aperte o Play…

Eu gosto do meu quarto
Do meu desarrumado
Ninguém sabe mexer
Na minha confusão
É o meu ponto de vista
Não aceito turistas
Meu mundo tá fechado
Pra visitação…

Coisas que eu sei
O medo mora perto
Das idéias loucas
Coisas que eu sei
Se eu for eu vou assim
Não vou trocar de roupa
É minha lei…

Eu corto os meus dobrados
Acerto os meus pecados
Ninguém pergunta mais
Depois que eu já paguei
Eu vejo o filme em pausas
Eu imagino casas
Depois eu já nem lembro
Do que eu desenhei…

Coisas que eu sei
Não guardo mais agendas
No meu celular
Coisas que eu sei
Eu compro aparelhos
Que eu não sei usar
Eu já comprei…

As vezes dá preguiça
Na areia movediça
Quanto mais eu mexo
Mais afundo em mim
Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre
Quando tô a fim…

Coisas que eu sei
As noites ficam claras
No raiar do dia
Coisas que eu sei
São coisas que antes
Eu somente não sabia…
Coisas que eu sei
As noites ficam claras
No raiar do dia
Coisas que eu sei
São coisas que antes
Eu somente não sabia…

Agora eu sei…
Agora eu sei…
Agora eu sei…
Ah! Ah! Agora eu sei…
Ah! Ah! Agora eu sei…
Ah! Ah! Agora eu sei…
Ah! Ah! Eu sei!

linha

Publicado por: 1chardonnay1 | novembro 15, 2008

Um dia daqueles

Os dias de sábado são dias em que eu faço tudo aquilo que não gosto muito de fazer.

Hoje pela manhã fui ao dentista, era muito de manhã e eu dava quase tudo pra ficar dormindo. Depois fui fazer a unha e algo que é tão rápido levou a eternidade porque eu queria mesmo ir ao banheiro naquela hora… Coisas da vida.

E depois disso tudo, cismei que queria alguns petit-fours salgados, mas aqueles de uma boa padaria com uma cara ótima pra acompanhar um espumante que eu tenho aqui. Pelamordedeus, alguém pode me dizer onde, nesta cidade que eu encontro uns bons petit-fours salgados? Andei, andei, andei e o máximo que vi foram petit-fours docinhos que não me servem muito hoje. Voltando pro lugar onde me escondo, passei no mercadinho na esperança de encontrar torradinhas para canapés, o que resolveria em parte o meu problema, mas não tinha. 

A história não termina aqui… continuo procurando algo que me agrade e harmonize com o meu espumante.

rostinho

Por agora é isso, qualquer coisa meligamemandaemail!!!

 

 

Older Posts »

Categorias